Quais são os sintomas?

O primeiros sintomas normalmente são o amolecimento progressivo das fezes. As fezes geralmente são sanguinolentas e podem associar-se com cólicas abdominais e sensação de urgência para evacuar. A diarreia pode iniciar-se lentamente ou subitamente. Além disso, pode haver lesões cutâneas, dor nas articulações e, em crianças, incapacidade de crescer apropriadamente.

1

Compartilhar:

Como se diagnostica?

O diagnóstico das doenças inflamatórias intestinais (DII) é estabelecido após avaliação do quadro clínico, em concordância com evidências endoscópicas (exames de endoscopia, retossigmoidoscopia e colonoscopia), laboratoriais, radiográficas e achados histopatológicos (biópsias). É necessário uma boa avaliação médica para que consiga chegar ao diagnóstico.

1

Compartilhar:

Qual o papel da cirurgia no tratamento?

Em uma pequena proporção de pacientes, o tratamento clínico não é completamente bem sucedido ou surgem complicações. Nessas circunstâncias, pode-se considerar a cirurgia que envolve a remoção de todo o cólon e reto, com criação de uma ileostomia ou até mesmo uma proctolectomia.

1

Compartilhar:

A nutrição é importante?

É essencial em qualquer doença crônica, principalmente nas D.I.I. que se caracterizam por diarréia e sangramento retal que podem roubar líquidos, eletrólitos e nutrientes do corpo. Alimentos brandos e moles podem causar menos desconforto que alimentos condimentados e ricos em fibras.

1

Compartilhar:

O estresse emocional pode desencadear crises de DII?

Como o corpo e a mente estão estreitamente inter-relacionados, o estresse emocional pode influenciar os sintomas das DII’s ou qualquer outra doença. Problemas emocionais agudos algumas vezes precedam o início da recorrência das crises e o acompanhamento de um psicoterapeuta, com conhecimentos das enfermidades intestinais, é muito recomendado. Os pacientes com DII devem receber compreensão e apoio emocional de suas famílias e seus médicos.

1

Compartilhar:

É possível ter uma vida normal?

Embora sejam doenças crônicas sérias, as DII’s não são consideradas doenças fatais. Quase todos os pacientes continuam a ter vidas normais, úteis e produtivas, mesmo precisando tomar medicamentos e, às vezes, hospitalização.

1

Compartilhar:
1
Compartilhar: